Expositores, artesãos e público em geral, sofrem com o total abandono da Praça Princesa Isabel, zona central da Capital/SP.

Lixo, fezes, drogas, arvores sem poda, mato e escuridão. Este é o atual cenário da Praça Princesa Isabel, aquela da famosa estátua do Duque de Caxias em seu cavalo, – localizada na capital paulista, zona central. O local já foi ponto de visitação turística, e aos domingos funciona o Mercado das Artes, uma feira de insumos para artistas e artesãos (telas, tintas, molduras, argila etc.) e também de produtos artesanais acabados para o público em geral. Mas hoje a praça serve de abrigo noturno para moradores de rua e usuários de drogas. Como não há iluminação, a praça virou esconderijo para ladrões que cometem pequenos roubos com quem passa pelo local.
Aos domingos quando os expositores chegam para trabalhar encontram restos de papelão, de jornal e de cigarro, o mau cheiro que exala dos arbustos indicam que o mesmo está sendo utilizada como sanitários. No último domingo 21/02/2010 estive na praça para adquirir alguns produtos e fiquei muito incomodado com a situação da praça. Conversando com os expositores pude verificar que os mesmos já pediram para a prefeitura melhorar a praça, mas o poder público nada faz.
Quem costuma passar pela Praça Princesa Isabel, seja nos dias da semana, ou finais de semana, pode acompanhar o estado de abando deste ponto turístico da cidade. (Haja vista que ao longo da praça tem diversas placas da Porto Seguro anunciando que mantém e conserva esta a praça).

PRAÇA PRINCESA ISABEL
Sua primitiva denominação foi a de “Campo Redondo” mas, também, conhecida como “Chácara Mauá”, por ser propriedade do Barão e Visconde de Mauá e, depois, por “Chácara do Charpe”. No dia 28/11/1865, por proposta do vereador Malaquias Rogério de Salles Guerra, seu nome foi alterado para Praça dos Guaianazes”. No “Campo Redondo”, realizavam-se corridas de cavalo antes da inauguração de um hipódromo no bairro da Moóca. Por volta de 1850, cogitou-se construir ali o primeiro cemitério público de São Paulo mas, essa idéia não foi levada adiante por que o local era muito úmido (em 1858 esse primeiro cemitério seria construído na Rua da Consolação). Em 1879, as terras são vendidas ao alemão Frederico Glette que, entre 1882 e 1890, abriu diversas ruas no entorno como a Rua dos Protestantes, Triunfo, Andradas e Gusmões dentre outras, dando origem ao bairro de Campos Elíseos. Sua atual denominação Praça Princesa Isabel, foi sugerida pelo vereador Henrique Queiroz na sessão da Câmara do dia 19/11/1921, dias depois do falecimento da Princesa (14/11/1921), ocorrido na França, no Castelo d´Eu. Nessa mesma sessão, foi apresentado o Projeto de Lei nº 68 que foi assianado por todos os vereadores. No dia 10/12/1921, esse mesmo projeto foi aprovado, dando origem à Lei nº 2.443 de 19/12/1921, promulgada pelo então Prefeito Firmiano de Moraes Pinto. A Princesa Isabel, filha de D. Pedro II e de D. Teresa Cristina Maria, nasceu no Rio de Janeiro aos 29/07/1846. No dia 29/07/1860, prestou no Senado o juramento de herdeira presuntiva da Coroa. Casou-se com o Conde d´Eu aos 15/10/1864. Por ocasião de viagens que o Imperador fez ao exterior, a Princesa Isabel assumiu o trono do Império por três vezes. Nessa condição, em 1871, assinou a “Lei do Ventre Livre” e, em 1888, a chamada “Lei Áurea” que aboliu definitivamente a escravidão no Brasil.

Dilma dispara também em PE

Foi adiada a divulgação dos números consolidados de todos os Estados na pesquisa Vox Populi sobre a sucessão presidencial. O Jornal da Noite, da TV Bandeirantes, que prometera divulgar os números nacionais, divulgou apenas outra parcial, agora do Estado de Pernambuco, tão surpreendente quanto a parcial do Rio.
O presidente Lula já está em plena ofensiva para convencer Ciro Gomes a se retirar da disputa presidencial. Além de uma reunião com o governador de Pernambuco, presidente do PSB, agendada para esta terça-feira, há outros esforços dirigidos do Planalto.
Aliás, Pernambuco vai ter um peso especial no resultado da próxima pesquisa nacional de intenção de votos que o instituto Vox Populi divulga ainda esta semana. Os números de Pernambuco já estão fechados.
São esses: 45% para Dilma Rousseff, 23% para José Serra, 9% para Ciro Gomes e 3% para Marina Silva.
Ciro, como se vê, está aí meio achatado, mas há outro dado que pode ser fundamental: 53% dos pernambucanos – 53%! – dizem que votarão no nome indicado por Lula, seja ele de quem for. Claro que muitos, por lá, não sabem que Dilma é o nome.

Lula quer enquadrar Serra e Kassab para combater alagões, no PAC 2

Nas comemorações do aniversário da cidade, ao receber a medalha 25 de Janeiro das mãos do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEMos), o presidente Lula falou em seu discurso sobre as enchentes em São Paulo, e que pretende se reunir com o prefeito e com o governador José Serra (PSDB) para estudar obras que ajudem a diminuir o problema durante as chuvas de verão.

A fala de Lula deixou o prefeito Gilberto Kassab e o governador José Serra com ar de constrangimento, já que a cidade tem sofrido com o problema desde dezembro.

A região do Jardim Pantanal, na zona leste, está há mais de 49 dias com água dentro de algumas residências.

Lula discursou:

“Cheguei em São Paulo pela primeira vez há mais de 50 anos. O primeiro lugar em que morei aqui foi na vila Carioca (zona sul). Sofri muito com a enchentes lá. Depois decidi me mudar para a Ponte Preta, na divisa com São Caetano. Lá passei por três outras enchentes, com até 1,5 m de água dentro de casa. Em seguida, me mudei para a vila São José, em São Caetano. Também alagava. Só depois que eu fui para o parque Bristol (zona sul), que era um lugar alto, é que me livrei das enchentes”, disse.

“Sabemos que o problema das enchentes não é exclusivo do prefeito. Já tivemos várias administrações aqui, inclusive do PT, e é um problema recorrente. É preciso unir esforços para resolver essa situação”, afirmou Lula, para evitar maiores constrangimentos ao anfitrião (Kassab).

“É preciso tentar oferecer uma solução para melhorar essa situação. Todo ano tem enchente em São Paulo. Vamos lançar o novo PAC para o período de 2011 a 2015 e quero me reunir com o governador de São Paulo e com o prefeito da cidade para discutir quais serão as obras prioritárias nesse sentido”, afirmou.

Vox Populi: Dilma já empata com Serra no Rio

Uma queda vertiginosa do pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, e um forte crescimento da candidatura da ministra Dilma Rousseff praticamente acabaram com a vantagem que o tucano vinha sustentando sobre a candidata presidencial do PT junto ao eleitorado do Rio de Janeiro.

Segundo pesquisa feita pelo Instituto Vox Populi para a Rede Bandeirantes, e parcialmente divulgada na edição de ontem do Jornal da Noite, Serra caiu de 40% para 27% das intenções de voto, enquanto Dilma subiu para 26%.

De acordo com o Jornal da Noite, o Vox Populi também aponta 14% para Ciro Gomes (PSB) e 9% para Marina Silva (PV).

Aprovação à gestão Kassab cai de 46% para 28%, mostra Ibope

A aprovação da gestão do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), foi fortemente abalada no último ano, segundo dados da pesquisa Ibope, encomendada pelo movimento Nossa São Paulo, sobre os principais indicadores de bem-estar da capital paulista.

Em relação à última edição, passou de 12% para 26% o total de pessoas que avaliaram a gestão como ruim ou péssima. Dentre os que consideram ótima ou boa, caiu de 46% para 28%. A pesquisa foi apresentada nesta terça-feira.

Os números coincidem com a queda nos índices de outros indicadores de bem-estar na cidade. Por exemplo, aumentou de 6% para 28% a quantidade de pessoas que afirmam temer alagamentos. Também apresentaram altas o receio em relação ao trânsito (16% para 18%), atropelamentos (7% para 13%), assaltos ou roubos (57% para 65%) e torcidas de futebol (6% para 11%).

“É interessante comparar esses indicadores com o plano de metas apresentado pela gestão municipal para ver se os interesses da população são atendidos, e as pessoas precisam acompanhar para ver se o plano de metas é cumprido”, diz um dos idealizadores do Movimento Nossa São Paulo, Oded Grajew.

Dada essa situação, também aumentou o número de moradores que afirmam que se pudessem sairiam de São Paulo – passou de 46% no ano passado para 57% este ano. “Há que se levar em conta que a pesquisa anterior foi feita logo após as eleições, então o clima era outro. Agora estamos vivendo as enchentes”, diz a diretora executiva do Ibope, Marcia Cavallari.

PSDB já acha que Dilma vai liderar pesquisa em março

Pesquisas do próprio PSDB já apontam a liderança de Dilma Rousseff  no Norte e no Nordeste. Nessas regiões, onde o presidente Lula bate recordes de aprovação, com índices que ultrapassam os 85%, ela passou governador tucano de São Paulo, José Serra, e abriu vantagem. Assessores tucanos prevêem que a candidata, já em março, poderá assumir a liderança nas pesquisas em todo o País.

Reeleição

O crescimento de Dilma Rousseff nas pesquisas reforça a tendência de José Serra desistir da disputa presidencial para tentar a reeleição.

Tarefa fácil

Com índices de aprovação superiores a 70%, José Serra não teria dificuldades para se reeleger, acreditam seus assessores.

Polícia de José Serra invade o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, indignado, lamenta e protesta contra a invasão realizada na noite do último dia 14 por Policiais Militares, durante realização de ato em defesa do III Plano Nacional de Direitos Humanos, que tinha nítida tentativa de intimidar os participantes.
A intimidação já havia ocorrido por volta do meio-dia durante a entrega protocolada de carta à presidência da República no seu escritório de São Paulo, na esquina da avenida Paulista e Rua Augusta A PM por duas vezes exigiu saber “o nome dos responsáveis” pelo evento – do qual participaram cerca de 30 pessoas e foi totalmente pacífico.
Mais tarde, por volta das 18 horas, um sargento da PM veio à sede do Sindicato para saber que tipo de ato estava sendo preparando para a noite. Depois de receber explicações de que se tratava de cerimônia interna, o sargento pediu o número da carteira de identidade do nosso diretor André Freire – o que já é um abuso.
À noite, por volta de 21 horas, com o auditório lotado por cerca de 200 pessoas, dois PMs, fardados, invadiram o auditório e disseram “estar cumprindo ordens superiores”. Foram convidados a sair.
Diante disso, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo exige das autoridades da Segurança Pública no Estado de São Paulo que dêem uma resposta a este abuso de autoridade que nos lembra os velhos costumes da ditadura, que não podemos aceitar de maneira alguma.
Aguardamos audiência com o secretário de Segurança para saber de quem exatamente partiu essa ordem, para que seja responsabilizado por tamanho arbítrio.

José Augusto Camargo – Presidente
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo